Sobre

| |
"Ela tinha só quinze anos, porque ela estava mais disposta. Dar uma chance, encontrar um romance, para crescer rápido." — Christofer Drew, Fifteen. 
 Meu nome é Jeniffer Gonçalves, mas você deve me conhecer como Jheni. Tenho 17 outonos (16/05), porém todos costumam dizer que sou uma eterna criança. Isso é bom, não é? Enfim, sou a filha mais nova de cinco irmãos e com certeza a mais histérica de todos eles. Me acho a dona da razão e quebro a cara às vezes, mas acho que expôr minha opinião, o que eu sinto em relação às coisas, é um jeito de mostrar que eu estou aqui para algo mais. Se pudesse me definir com uma só palavra, seria confusão, mas sabe aquela confusão em que você mais se acha que se perde? Essa sou eu. Sou um misto de amor e ódio, de gentileza e ignorância, de melancolia e felicidade, de sabedoria e tolice.
 Gosto de demonstrar quando estou feliz e de esconder quando estou triste e por este contraste, entenda que sou agridoce. Sou sensível, mas posso ser fria com alguém que mereça. Mas entenda, não preciso de muito pra ser feliz, apenas um cantinho em que possa ler meus livros favoritos, escrever algumas bobagens, ouvir Never Shout Never e The Neighbourhood no volume mais alto e fotografar o pôr do sol pela janela...
 Admiro as mais simples coisas da vida. Minha estação favorita é e sempre vai ser o outono, já que é o meio-termo perfeito. Meu gênero literário favorito é romance e o cinematográfico, drama. Meu estilo de música é folk, indie, pop e rock. Costumo guardar textos e frases em um caderninho e me apego muito facilmente às pessoas, assim, parte de mim se quebra quando elas me decepcionam ou simplesmente se vão. Cada uma dessas aleatoriedades aparentemente sem importância definem quem sou.
 Um dia quero morar numa cidade grande, daquelas em que os sonhos se realizam, sabe? Quero fazer profissionalmente algo que eu ame, pra não ter de trabalhar nem um dia sequer da minha vida. Visitar algumas cidades que eu admiro muito como Londres, Paris e Nova York. Fazer as pessoas felizes com algo que me faça feliz também. E encontrar alguém tão louco quanto eu, pra multiplicar as loucuras e dividir a vida.

 A coisa que eu mais amo fazer é escrever e foi desse amor às palavras que nasceu esse blog. Num dia triste, no outono de um ano confuso eu resolvi escrever minhas frustrações em um lugarzinho que eu não planejava levar à diante, mas acabou que eu não consigo mais me ver sem ele. Por meio deste blog descobri que fotografar também é uma das minhas paixões, que não sou a úncia adolescente do mundo que tem como refúgio uma página no Blogger e que sim, esse espacinho na web me faz muito bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário